"Os Empregos do Futuro" - Transformações e Tendências no Mercado de Trabalho, foi o tema da Web Conference de 30 de Maio de 2020.

Esta web conferência tem de facto um tema muito oportuno no momento em que vivemos. As pessoas foram obrigadas a entrar neste mundo novo do digital, com as plataformas digitais.

Georgina Morais, vice-presidente da Coimbra Business School, enquadrou a questão base da web conferência. Como é que vão ser as transformações em termos profissionais no futuro. Pensando também na indústria, com todas estas transformações a ocorrer e a necessidade de repensarem as suas estratégias, de que forma isto impacta a visão das empresas e as características dos profissionais para o futuro. Vemos aqui de facto muitos desafios, que são diferentes e que se devem ter em atenção.

“As Profissões do Futuro”
por Rui Murta, coordenador do MBA Marketing & Sales Intelligence

Atravessamos um período marcado pelo COVID 19, que vem ainda tornar mais evidente algumas das transformações e tendências que o mercado de trabalho tem vindo a registar. Portugal apresenta um elevado potencial de automação tendo por base que atualmente 50% do tempo despendido em tarefas laborais pode ser automatizado, recorrendo a tecnologias já existentes, podendo mesmo chegar a 67% em 2030. Parece ficar claro, que existe uma necessidade urgente dos trabalhadores se requalificarem atempadamente para enfrentarem os novos desafios.

Nesta web conferencia evidenciaremos os benefícios da requalificação, do ponto de vista do trabalhador, as consequências nos aumentos de produtividade da economia, motivados por um conjunto de dados positivos, visíveis na saúde e bem-estar das próprias pessoas. Isto coloca-nos novas questões: Como mudar de tarefas de baixo para alto valor acrescentado? Como é que estas tarefas permitirão o aumento de produtividade dos trabalhadores e das empresas?

“O Talento Precisa de Atenção” – Tendências e Boas Práticas de Gestão
por Ricardo Parreira, CEO da PHC Software SA

A abordagem por parte dos empregadores em encontrarem o melhor talento, pode estar ultrapassada e pode já não ser bem assim. As organizações devem preocupar-se em atrair e acima de tudo de manter o melhor talento. Quais são as consequências para as empresas de não dar atenção ao talento e perdê-lo?

É importante que o estilo dos colaboradores “encaixe” na cultura da organização para estes poderem contribuir ativamente. Um dos maiores erros das empresas é contratar pessoas que não se identificam com a cultura da empresa, comprometendo o nível de compromisso com as funções que lhes são atribuídas. Não há em nenhuma organização 100% das pessoas totalmente comprometidas com a cultura, mas deverá haver iniciativas que procurem identificar essas imparidades e desenvolver o nível de compromisso individual e coletivo. Venha conhecer, algumas práticas para reter os melhores talentos.

“Que Competências Profissionais serão Procuradas?”
por Diogo Tomás, BPO Business Developer na Konika Minolta

Hoje já não são as empresas que escolhem os candidatos, são os candidatos que escolhem a empresa. Hoje, as empresas já não podem dizer que querem o candidato x, mas é o candidato x que diz que quere trabalhar na empresa y, x ou z. Os candidatos que não o fazem, está na altura de o começarem a fazer. Devemos pensar hoje em dia, nas competências que temos, que competências é que o mercado valoriza e que tipo de cultura empresarial valoriza as competências que detemos e se está de acordo com os valores que procuramos.

“LinkedIn e o Network revolucionaram o mundo da gestão de carreiras?”
por Susana Miranda, Career Advisor & Executive Mentor

Na procura de novas funções ou novos colaboradores, existem desafios que envolvem sempre as duas partes: o candidato e a empresa. A empresa procura o candidato perfeito, mas o candidato também procura a empresa perfeita, e na verdade isto não existe. Há aqui uma fase de adaptação, que começa com a forma como o colaborador é acolhido, sendo que a parte do acolhimento e integração ditará o sucesso ou fracasso desta relação.

Na situação dos candidatos que se querem mostrar ao mercado de trabalho, deve-se ver o LinkedIn como um cartão de visita. O networking proporcionado por esta plataforma poderá trazer grandes vantagens a quem procura novos desafios. Deve-se pensar de forma estratégica como construir a Network, construi-la de forma positiva e com qualidade.

Audio Completo e Gratuito da Business Conference

[player id=8275]

Vídeo Completo com apresentações dos oradores da Business Conference

Wrap-Up
por Ricardo Ribeiro, Docente de IoT do MBA Marketing & Sales Intelligence

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=kn_2Tz47ajc%5B/embedyt%5D

Energia, capacidade em transformar a empatia em comunicação.
Adaptação, capacidade de conseguir ver antes e conseguir ajustar-nos ao futuro.
Relacionamento, como é que nos relacionamos com as empresas que procuram pessoas e como elas conseguem desenvolver a organização, ao mesmo tempo que esta ajusta os seus procedimentos para enfrentar novos desafios.
Problem Solving, a possibilidade de um colaborador deter as competências de apresentar soluções.

Mesmo neste contexto remoto as considerações aqui partilhadas são extraordinárias. Alguns dos tópicos são fulcrais para uma reflexão mais profunda.

Leave a Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Contact Us